A onda de violência é crescente, principalmente nos grandes centros urbanos. Por isso, além de culpar os governantes e questionar as ações das autoridades policiais, é fundamental que o cidadão comum tenha posturas preventivas e saiba quais são as reações ideais em determinadas situações de risco. Por exemplo, você sabe como agir em um sequestro?

Embora a modalidade mais comum entre os criminosos seja o sequestro-relâmpago, em que a vítima fica em poder dos bandidos por minutos ou por poucas horas enquanto eles fazem saques bancários e compras com os cartões de crédito, o sequestro em que a vítima é deixada em cativeiro ainda acontece, e vem daí a necessidade de prevenção e cuidado redobrado.

> Desaparecimentos no Brasil: pessoas que podem ter sido vítimas de homicídios ou sequestros;

> Como se prevenir da ação de um sequestrador;

> Saiba como você deve agir caso seja sequestrado.

agir em um sequestro

 

Desaparecimentos: sequestros ou homicídios?

De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em estudo feito a pedido da Cruz Vermelha, entre 2007 e 2016 foram registrados mais de 690 mil boletins de ocorrência por desaparecimentos no Brasil. Em média, 190 pessoas desapareceram por dia nos últimos 10 anos, oito por hora.

Quando o assunto é sequestro, o desaparecimento torna tudo ainda mais difícil – principalmente se os bandidos não entram em contato com a família da vítima. O desaparecimento não é considerado crime, é feito o boletim de ocorrência e não há investigação a não ser que haja indícios de um crime como o sequestro em si, ou homicídio.

 

Como se prevenir da ação de um sequestrador?

É impossível saber se você será um alvo dos bandidos, mas algumas atitudes podem fazer com que você seja visto como fatores que dificultam a ação, afastando os criminosos. Veja como você pode evitar a ação de sequestradores:

  • No carro, mantenha os vidros fechados, portas trancadas e deixe a bolsa na parte de trás do veículo, escondida;
  • Seja a pé ou mesmo de carro, evite expor objetos de valor, como jóias, carteira ou mesmo o celular;
  • Evite fazer sempre o mesmo caminho, de modo que se torne quase impossível para uma pessoa má intencionada prever sua rotina ou trajetos;
  • Fique sempre atento a tudo que acontece ao seu redor. No carro, mantenha o hábito de olhar os retrovisores mesmo quando estiver parado;
  • Evite caminhos por ruas desertas ou mal iluminadas;
  • Se perceber que está sendo seguido, procure estabelecimentos comerciais movimentados e entre;
  • Não dê informações muito pessoais sobre posses e hábitos a pessoas que você pouco conhece;
  • Evite andar com altas quantias em dinheiro e fique atento ao sair de agências bancárias.

 

Como agir em um sequestro?

agir em um sequestro

Quando o sequestro é previamente articulado, bandidos costumam levar vítima para um cativeiro até o pagamento do resgate

Se, mesmo com essas dicas, você não conseguiu evitar e foi pego por bandidos, é importante saber como agir em um sequestro para se proteger de danos que vão além das perdas de bens materiais.

  • Não reaja e mantenha uma postura de passividade. Evite os movimentos bruscos;
  • Faça o que for pedido por eles,
  • Tenha atitudes que possam acalmar os bandidos e mantenha as mãos sempre à mostra para demonstrar que você não é uma vítima que oferece risco a eles;
  • Acalme-se e tenha uma atitude observadora: veja quantos são, se estão armados, se são bem preparados fisicamente, seu estado emocional e o que desejam;
  • Evite insultar o sequestrador, tocar em assuntos sensíveis ou falar palavrões;
  • Tente manter a noção do calendário e do tempo que você estiver sob o poder dos sequestradores;
  • Siga as instruções das autoridades durante o resgate.

 

Leia também

Golpe do falso sequestro ainda faz vítimas em todo o país

Tecnologia e segurança caminham lado a lado no combate ao crime

Sobre o projeto
Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência instaurada no País, o que resta ao cidadão? A proposta do portal "Violência Social" é contribuir com respostas, ser um canal de conteúdo estratégico onde a população terá informações sobre como lidar com a violência e se defender, além de conhecer melhor os seus direitos.