O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado em 1998 para avaliar o desempenho dos estudantes na última etapa escolar. A prova, reformulada em 2009, se tornou o maior processo seletivo do Brasil e representa a porta de entrada de milhares de estudantes em universidades públicas e federais, em algumas instituições particulares e também é critério de avaliação em bolsas e financiamentos estudantis como Prouni e Fies. Importante e visado, todos os anos são barradas diferentes tentativas de fraudes no Enem.

A reformulação tornou o exame mais democrático. Ter um bom desempenho nas provas, divididas em dois domingos, pode representar uma mudança de vida para muitos jovens.

fraudes no enem

Da mesma forma que isso estimula quem estuda o ano inteiro e pretende estudar ainda mais, também abre margem para quem pretende se aproveitar dessa importância para cometer crimes.

Esse foi o caso de dois irmãos gêmeos em Montes Claros, Minas Gerais. As atitudes suspeitas em sala de aula chamaram a atenção dos fiscais. Eles foram presos com pontos eletrônicos, aparelhos proibidos no dia do exame e identidades falsas.

Para entender mais sobre esse histórico e casos de fraudes no Enem, que teve sua primeira etapa no último domingo, 4 de novembro, o Violência Social preparou um post completo:

> O caso dos gêmeos presos acusados de fraudar durante a prova;

> Fraudes no Enem: os crimes já cometidos;

> Veja o que os candidatos podem levar no dia da prova para que não seja considerada fraude.

 

Irregularidades durante a prova

Dois rapazes, irmãos gêmeos de 22 anos, foram presos em Montes Claros, MG, na primeira tarde de provas do Enem.

Eles foram flagrados na mesma sala de provas e, depois de atitudes suspeitas, o fiscal que estava no local informou a coordenação sobre o comportamento dos jovens. Eles foram revistados e foram encontrados pontos eletrônicos, aparelhos celulares, fones de ouvido e documentos de identidade falsos.

A Polícia Militar registrou o boletim de ocorrência e os irmãos foram encaminhados para a Polícia Federal. Eles responderão pelo crime de fraude em certame público, previsto no artigo 311-A, inciso III do Código Penal, com pena de 1 a 4 anos.

 

Fraudes no Enem

A ocorrência não é um caso isolado quando o assunto se refere às fraudes no Enem. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (IneP), responsável pela aplicação do Enem, já teve que lidar com a acusação de vazamento de questões por um professor de escola particular de Fortaleza, em 2011, apenas uma semana antes da prova.

Quadrilhas já foram presas suspeitas de comandar uma organização que beneficiaria candidatos com pontos eletrônicos. Em outros casos de grande repercussão, houve suspeita de roubo da prova na gráfica onde as provas são impressas e foi constatado, também o uso de celulares e redes sociais durante a aplicação do teste.

fraudes no enem

Aparelhos eletrônicos, como os smartphones, são proibidos durante o exame e devem ficar desligados

 

O que pode e o que não pode?

No próximo domingo acontece o segundo e último dia de prova do Enem. Para fazer a prova, é preciso seguir algumas regras e restrições impostas pelo Inep para que sua participação não seja vista como atitude suspeita e uma das fraudes no Enem.

Lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borracha, livros, celulares, calculadoras, pendrive, fones e outros eletrônicos são proibidos durante o teste. Alguns itens você não pode esquecer:

  • Cartão de confirmação de inscrição;
  • Documento de identificação original com foto;
  • Caneta esferográfica preta com corpo transparente.

 

 

Leia também

Professores agredidos por alunos, a violência dentro e fora de sala

Sobre o projeto
Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência instaurada no País, o que resta ao cidadão? A proposta do portal "Violência Social" é contribuir com respostas, ser um canal de conteúdo estratégico onde a população terá informações sobre como lidar com a violência e se defender, além de conhecer melhor os seus direitos.