Imagine estar em casa ou no trabalho e receber uma ligação dizendo que você ganhou um prêmio que não estava esperando. Mais ainda: o prêmio parece verdadeiro – mesmo você não tendo participado de nenhum sorteio. Parece um sonho, não é? Mas na verdade é um golpe que tem atingido muitas pessoas em todo o Brasil. Conversamos com vítimas desse golpe para tentar entender como os bandidos agem e preparamos uma lista de 6 formas de perceber que uma ligação é suspeita e como se proteger.

COMO O GOLPE ACONTECE

Todo mundo que tem um celular já recebeu sms da operadora de telefonia com informações sobre sorteios e prêmios. Isso porque todas elas possuem ações de fidelização de clientes que envolvem sorteios de quantias altas. Nós sabemos disso, você sabe disso e, claro, os golpistas também sabem. Foi o que aconteceu com Catarina Lopes, enfermeira, que recebeu um telefonema em que o interlocutor se identificou como atendente da operadora da qual ela é cliente e disse que ela foi uma das selecionadas para receber um prêmio de 10 mil reais. Como muitos de nós faríamos, ela pesquisou na internet e descobriu que a promoção de fato existia e que o valor do prêmio era justamente o informado. Foi a deixa para que ela caísse na conversa do golpista e passasse a seguir as orientações dele.

LEIA TAMBÉM:

Empréstimos consignados – Facilidade de crédito aumenta violência contra o idoso

Baleia Azul – O jogo que leva os jovens ao suicídio; saiba como ajudar

1- DESCONFIE SEMPRE
Apenas pesquisar na internet o nome da promoção não é o bastante. É preciso refletir sobre os seus últimos contatos com a operadora, tentar lembrar se em algum momento se cadastrou na promoção e pesquisar sobre a mecânica da premiação.

Quando Catarina atendeu o telefone recebeu instruções de que deveria ir ao caixa eletrônico para autorizar a liberação do prêmio. Se tivesse pesquisado o regulamento da promoção, teria encontrado o primeiro sinal de que algo não estava certo. Pesquisamos e descobrimos que uma das normas é que “Os resultados dos sorteios e os nomes dos Participantes Contemplados serão divulgados no hotsite da promoção”. Ou seja, a própria ligação já era um indicativo de que algo suspeito.

2- NÃO DEIXE QUE O INTERLOCUTOR DOMINE A CONVERSA

Outra vítima do golpe, Luciana de Souza Araujo, advogada, passou pelos mesmos passos relatados anteriormente – dessa vez com o golpista se identificando como atendente de outra operadora – e nos contou que não desconfiou de nada, mesmo hoje percebendo que aquilo não estava certo. Ela já trabalhee com serviço externo de banco, sabe perfeitamente como funciona a maioria das operações bancarias e sabia que não precisava ir até uma agência para liberar uma transferência.

Recebi uma ligação de um cara muito bem treinado, com uma lábia que nunca vi igual. Ele simplesmente me fez levantar da cadeira e ir até uma agencia. Lá eu sacaria um premio de 25 mil reais. Eu estava hipnotizada”, Luciana

Em todos os casos que ouvimos, a constante é a mesma: o suporto atendente domina a conversa, pergunta quais são os planos da pessoa para o dinheiro, explica muito bem todos os procedimentos para recebimento, é muito bem treinado e convincente.

Toda essa “lábia” é justamente para confundir a vítima e não dar tempo para que ela pense sobre o que está acontecendo. Caso receba uma ligação como essa, questione, pergunte os termos do contrato, peça um momento para verificar se realmente foi contemplado. Um prêmio de verdade não será perdido por você se prevenir.

3- NÃO PASSE NENHUMA INFORMAÇÃO BANCÁRIA

O próximo passo do golpe, já com você dentro da agência, é pedir para que você retire um extrato bancário e verifique qual é seu saldo no momento. O importante aqui é lembrar que a sua operadora de telefonia não precisa saber o seu saldo no banco para te conceder ou não um prêmio. E nunca nenhuma operação vai depender da retirada ou não do seu extrato. Na verdade, você nunca vai precisar ir até uma agência bancária para que um prêmio seja concedido.

Tanto Catarina quanto Luciana verificaram o saldo da conta. Para Luciana, o golpe terminou ali, pois ela informou que não tinha dinheiro disponível. Para Catarina, o problema ainda não tinha acabado.

O golpista não pediu que ela informasse exatamente quanto tinha na conta, mas perguntou se tinha um valor mínimo. Ao receber a confirmação, ele foi para o próximo passo: tentar que ela transferisse esse valor para a conta dele.

4- NÃO REALIZE NENHUMA TRANSAÇÃO NO BANCO SEM FALAR COM O GERENTE

Para a liberação do suposto prêmio, a pessoa precisa entrar na área de transferência no caixa eletrônico, digitar a conta e agência informada pelo telefone e digitar um código de liberação. O código, na verdade, é o valor a ser transferido. Pode parecer óbvio para quem está acostumado com transações bancárias, mas para muitos não é. Para Catarina, que nunca havia transferido nenhuma quantia, o procedimento pareceu normal. Ela digitou o “código”, confirmou a transferência e, por sorte, o caixa eletrônico travou. A transferência não foi concluída. Caso não tivesse travado, ela teria concluído a transação com o código “49898”, ou seja, “R$ 498,98”. Quase 500 reais que iriam direto para a conta do golpista.

Caso ela tivesse se informado com o gerente da agência, teria logo percebido que estava sendo enganada. É importante que o cliente do banco questione qualquer transação financeira que seja diferente do que está acostumado e que vá até um atendente ou gerente da agência para perguntar sobre a forma de realizar qualquer procedimento que seja novo. Se você nunca recebeu uma transferência e não sabe se precisa digitar um código de liberação, por exemplo, pergunte!

5- NÃO DÊ DINHEIRO EM TROCA DO PRÊMIO

Caso você saiba como funcionam as operações bancárias, o golpista provavelmente tentará te convencer de que é preciso que você faça um pagamento para a sua conta seja verificada e que esse valor será devolvido junto com o prêmio. Mais uma mentira.

Para quem está acostumado a utilizar servidores de pagamento pela internet, o depósito para confirmação da conta é algo comum. Mas isso não se aplica para nenhum tipo de premiação e os termos do depósito nesses sites estão bem explicados no contrato de cadastro.

No caso das duas operadoras que foram usadas como pretexto para os golpes mencionados nessa matéria, o regulamento das promoções diz a mesma coisa: “O prêmio será entregue livre e desembaraçado de qualquer ônus para o Participante contemplado”.

Para Catarina, o golpe acabou quando ela avisou o erro no caixa eletrônico. O interlocutor pediu que ela então sacasse o dinheiro e fosse até uma casa lotérica concluir o depósito. Foi aí que ela começou a ficar com medo e percebeu que estava conversando na verdade com um bandido.

6- DESLIGUE O TELEFONE

Quando perceber que a ligação é suspeita, desligue o telefone. Não importa em que momento do golpe, a partir do momento em que algo fugir da normalidade para você, desligue. Ligue para sua operadora através de um dos canais de atendimento, converse sobre o que aconteceu e pergunte se, por acaso a ligação partiu de lá. Caso a ligação seja verdadeira, fique tranqüilo, eles vão te informar sobre os procedimentos corretos para recebimento. Caso seja falso, comunique a tentativa de golpe e siga os procedimentos indicados por eles para formalizar a ocorrência.

BÔNUS: NÃO SE CULPE

Me pergunto ‘Como você pôde cair num golpe desse?’ Sempre me achei esclarecida, sempre critiquei pessoas que caem em golpes, mas o cara é muito bem preparado. Eu fui andando com o telefone ligado e falando com ele a todo momento. Eu falei pra ele que era advogada e ele falou ‘ainda bem que você é advogada’. Ele deve ter rido de mim”, Luciana.

O golpe funciona com tantas pessoas justamente por conta do preparo dos bandidos. Todos estamos sujeitos a cair em uma armadilha como essa e não é motivo de culpa ou vergonha. O importante é usar a experiência como aprendizado para que não seja vítima novamente.

É importante também lembrar que, caso você tenha ido até o final e depositado o dinheiro para o golpista, o gerente do banco e a polícia devem ser informados imediatamente.

CANAIS DE ATENDIMENTO

As operadoras brasileiras possuem canais de atendimento que devem ser procurados sempre que o cliente estiver inseguro sobre alguma ligação recebida ou deseje mais informações. Não hesite em ligar:

VIVO

Central de Relacionamento – direto de um telefone Vivo: *8486

Central de Relacionamento – de qualquer telefone, incluindo não Clientes: 1058

Central de Relacionamento – Direto de aparelhos TDD, apoio: a deficientes auditivos: 142

TIM

Ligue do seu celular para: *144

Se preferir ligar de um telefone fixo: 1056

Atendimento a deficientes auditivos: 0800 741 2580

CLARO

Ligue para falar com um atendente: 1052

Atendimento ao deficiente auditivo e da fala: 0800 036 2323(Ligação gratuita)

OI

Ligue de seu celular OI: *144

Ligue de qualquer telefone: 1057

Deficientes auditivos: 142 (Ligue ou envie SMS)

NEXTEL

Ligue do seu Nextel: 1050

Ligue de qualquer telefone: (011) 4004-6611

Atendimento ao Deficiente Auditivo e/ou Fala direto de aparelhos TDD: 0800-2006636

Gostou desse artigo e acredita que ele pode ajudar outras pessoas?
Compartilhe-o nas redes sociais!

Sobre o projeto
Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência instaurada no País, o que resta ao cidadão? A proposta do portal "Violência Social" é contribuir com respostas, ser um canal de conteúdo estratégico onde a população terá informações sobre como lidar com a violência e se defender, além de conhecer melhor os seus direitos.