Símbolo de liberdade e de novas responsabilidades. Morar só é o sonho de muitos que almejam ter seu espaço e fazer tudo segundo uma rotina própria. Por outro lado, essa mudança pode significar um verdadeiro pesadelo para muitas pessoas. Afinal, morar sozinho é perigoso?

A principal palavra que define esse momento é independência. O encantamento com a possibilidade de fazer a própria vontade muitas vezes cega a necessidade de um alerta: prevenção e cuidados especiais.

morar sozinho é perigoso

Viver só pode representar independência e liberdade, mas é preciso estar atento à exposição e aos riscos

Morar sozinho é perigoso a partir do momento que essa solidão se torna visada por desconhecidos. Pensando nisso, preparamos um post completo para você saber como se proteger nessa situação.

> O aumento da população que mora sozinha;

> As situações mais vivenciadas por quem prefere viver só;

> Morar sozinho é perigoso? Saiba dicas para se proteger.

 

Mais pessoas morando sozinhas

Aumenta a expectativa de vida e a população envelhece, enquanto há uma redução de crianças e adolescentes. Esse é um dos principais fatores para o salto de pessoas que moram sozinhas entre os anos de 2005 e 2015.

De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mais de 10,4 milhões de pessoas moravam sozinhas no Brasil em 2015. Em 10 anos, esse índice foi de 10,4% da população para 14,6%.

Os idosos são maioria entre os vivem só, sendo 44,3% deles com 60 anos ou mais. Em 2005, eles representavam 40,6%.

Perfis diversos – Ainda que a população idosa seja a maioria nesse cenário, os mais diferentes perfis adotam esse comportamento, como jovens que optam por não casar ou que preferem ter filhos mais tarde.

 

Dificuldades e riscos de quem mora só

Há quem acredite que morar sozinho é perigoso, e realmente pode ser. Situações tidas como comuns devem ser tratadas com mais atenção e, em alguns casos, contar com o auxílio de amigos e familiares para evitar se tornar vítima da violência.

Os perigos para quem vive só são ainda mais evidentes no caso das mulheres. Receber técnicos de empresas de telefonia, eletricidade ou internet pode ser uma situação assustadora. Ou mesmo receber uma entrega representa um momento de insegurança quando o assunto é a possibilidade de sofrer com o assédio e estar sozinha.

Ou mesmo o processo de conhecer alguém e iniciar um relacionamento com uma nova pessoa exige mais atenção para quem convive com a independência.

morar sozinho é perigoso

 

Morar sozinho é perigoso? Dicas para você se proteger!

Morar e estar só é se tornar mais suscetível aos perigos da violência. Mas essa não precisa ser uma regra. Ainda que quem vive só possa ser mais visado por desconhecidos e até mesmo por pessoas próximas, alguns cuidados contribuem para que você fique livre dos riscos extras.

  1. Privacidade em sigilo – morar sozinho pode ser uma libertação, mas você pode limitar  essa informação a pessoas da sua confiança. Desconhecidos e mal intencionados podem se aproveitar dessa situação;
  2. Companhia para “visitas” – se não puder evitar a necessidade de técnicos em sua residência, prefira chamar amigos e familiares para fazer companhia. Se preferir, avise porteiro ou vizinhos de que você está recebendo uma pessoa de fora. No caso de entregadores, prefira recebê-los na área comum do prédio;
  3. Cuidado com aqueles que você recebe – seja um novo relacionamento, amigos ou conhecidos: fique sempre atento a quem você pretende receber na sua casa;
  4. Atenção em dobro – antes de entrar na sua casa ou apartamento, verifique os arredores, perceba movimentações estranhas ou a presença de pessoas que estão sempre atentas aos seus hábitos;
  5. Invista na sua segurança – aposte em estratégias para que você se sinta mais seguro, mantendo as portas sempre trancadas, janelas sem grande exposição de seus pertences e, se possível, conte com a tecnologia a seu favor.

 

Leia também

Estratégias de segurança em condomínios protegem da violência

Como evitar a violência, dicas para você se proteger!

Assédio, motel e falta de respeito: os perrengues de quem mora sozinha

Sobre o projeto
Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência instaurada no País, o que resta ao cidadão? A proposta do portal "Violência Social" é contribuir com respostas, ser um canal de conteúdo estratégico onde a população terá informações sobre como lidar com a violência e se defender, além de conhecer melhor os seus direitos.