As eleições 2018 ainda não chegaram ao fim e o clima, que já estava acalorado e semelhante a uma briga entre torcidas, se tornou ainda mais tenso. Durante as apurações, os ânimos ficaram ainda mais à flor da pele, mas a efervescência deu lugar ao ódio assim que teve início a abertura das urnas na região nordeste. As redes sociais foram tomadas por discursos xenofóbicos e ódio contra nordestinos.

O fim da apuração de 7 de outubro definiu que no próximo dia 28 haverá um segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). O candidato do PSL venceu em todas as regiões do Brasil, exceto nos estados do nordeste.

ódio contra nordestinos

Durante boa parte da contagem de votos, Bolsonaro esteve bem próximo de atingir 50% dos votos, mas os índices caíram e os números de Haddad se tornaram mais expressivos. A associação das diferenças por regiões fez com que diversos eleitores de Jair Bolsonaro iniciassem a disseminação de discursos de ódio contra nordestinos nas redes sociais.

A xenofobia é crime e, por isso, o Violência Social fez um post completo para você entender mais sobre o assunto e saber como denunciar esses casos.

> O que é xenofobia e como ela acontece?;

> Dia do nordestino e o preconceito contra esse povo em tempos de eleições;

> Xenofobia é crime. Saiba como denunciar o ódio contra nordestinos.

 

O que é a xenofobia?

O Brasil é um país extenso territorialmente e, por isso, abriga diferentes culturas, etnias, origens, crenças e grupos.

A xenofobia é a aversão a tudo que vem de fora. Pode se referir ao estrangeiro de fato, mas, em um contexto mais específico, pode se referir à discriminação, preconceito ou racismo em relação a pessoas de outras raças e culturas.

Essa aversão pode causar animosidade, sentimentos de repulsa e a disseminação de discursos de ódio.

 

Preconceito em tempo de eleições

O dia 8 de outubro é o Dia do Nordestino e, ainda que a data mereça comemoração, a luta da população dessa região é constante, principalmente contra o preconceito.

Após as eleições do último domingo, que definiram um segundo turno em 28 de outubro entre Haddad e Bolsonaro, muitas pessoas passaram a disseminar o ódio contra nordestinos nas redes sociais.

O motivo? A associação de que o candidato do PSL somente não venceu no primeiro turno porque o povo do nordeste, em sua maioria, preferiu eleger Fernando Haddad.

ódio contra nordestinos

Os mesmos discursos de ódio também tomaram conta das principais redes sociais em 2014 após Dilma Rousseff, também do PT, ganhar a disputa presidencial contra o então candidato do PSDB, Aécio Neves.

Na noite de domingo, “Nordeste” ficou entre as tags mais comentadas do Twitter, com mais de 600 mil publicações envolvendo piadas e manifestações de intolerância em relação aos nordestinos.

As principais formas de preconceito e ódio contra nordestinos foram expressadas com o suposto desejo de tirar a região do mapa do país, o questionamento da inteligência de seus moradores e a relação de trabalho em que nordestinos buscam oportunidades em estados do sudeste, principalmente.

 

Como denunciar?

A xenofobia e o ódio contra nordestinos podem e devem ser denunciados, sejam eles proferidos verbalmente ou pela internet. Saiba como:

  • Se possível, tenha provas da denúncia, como é o caso facilitador das capturas de tela;
  • Denuncie por meio da plataforma SaferNet;
  • Também é possível denunciar diretamente por meio do Ministério Público Federal, clicando aqui;
  • Você pode ligar também para o Disque 100, que recebe denúncias sobre a violação de Direitos Humanos.

 

Leia também

Difamação na internet é crime, saiba como denunciar a violência

Sobre o projeto
Enquanto o Estado e gestores públicos não acabam com a violência instaurada no País, o que resta ao cidadão? A proposta do portal "Violência Social" é contribuir com respostas, ser um canal de conteúdo estratégico onde a população terá informações sobre como lidar com a violência e se defender, além de conhecer melhor os seus direitos.